quinta-feira, 12 de maio de 2011

Seriedade?

Tsc, ah! Fala sério, hein?! Falar sério é, ou não é a coisa mais chata do mundo?
Ter que falar tudo tim-tim por tim-tim, putz! Eu tô falando, não tô escrevendo uma redação para concurso não!
Desde que o ser humano começou a achar que era bicho mais pensante que todos, e que seus sentidos podiam o enganar que sua realidade funcionava muito bem, criamos leis, domamos animais "menos-racionais", domamos nós mesmos. Não precisou de muito tempo para que cada ser humano olhasse o mundo individualmente e se achasse o único ser pensante supremo dali, o melhor, o bonzão, o fodão, o macho-alfa. Daí surge um autoritarismo racionalmente irracional, conflitos no norte do continente africano, possíveis mortes de líderes terroristas, guerra, preconceito...
P.Q.P.! Se algum dia a caixinha de Pandora existiu, ela só podia guardar esse ego indomável do ser humano, esse que faz ele se achar melhor que o outro, pior, que faz ele querer PROVAR que é melhor que o outro.
Aí vem pai, vem tio, avô, vizinho, qualquer um no meio da rua e pede seriedade ao povo, principalmente para nós, jovens.
Jura que eu não posso rir desses ditadores tão imbecis que se acham os reis de tudo sendo que vivem num país de território bem limitado e beeeeeeeeeeeeem menor que o mundo todo? Jura que Tiririca eleito é burrice? É avacalhação? Osama Bin Laden existe? Ele só podia estar morando no Acre, que por sinal, também existe né?
Piada só é bem contada quando alguém não gosta. Seriedade só é real quando o jogo é limpo.
Porque se além de você não poder rir da situação horrível em que se encontra, você ainda ter que tomar atitudes sérias? Fala sério!
Se é para ser sério, vou ser sério quando quiser, porque carro zero de graça para político só pode ser piada, já que jogo limpo não é! E assim eu acabo meus posts sérios! Vamos tentar dar umas gargalhadas no próximo porque eu acabei de ver meu Flamengo perder, tákêpareu, sacou?.
MORRA AGORA OU CALE-SE PARA SEMPRE!(não é sério não hein!)

domingo, 1 de maio de 2011

Fuckin Mudanças!

Ah! Nada mais interessante que as mudanças que a vida nos proporciona!
O incrível é que para quem vive a mudança parece que se passam séculos para tudo mudar, mas para quem está assistindo de fora, tudo passa bem rápido. Hoje, depois de muito tempo sem postar, eu quero voltar com um momento meio fisolofia filosofia, por favor me acompanhem.
Hoje eu posso dizer uma coisa para vocês: TUDO influencia você. Mas deixe-me dissertar um pouco mais sobre isso. Há pouco tempo eu fuckin passei para a UFRJ, uma faculdade federal do Rio de Janeiro muito bem falada. O curso de graduação que eu estou fazendo lá chama-se Bacharelado em Ciências Matemáticas e da Terra ou BCMT para os mais íntimos. Ês que (pasmem), esse curso não é matemática, não é geociência e também não é nenhum tipo de curso específico. O curso tem a finalidade de formar pessoas capacitadas em matemáticas e ciências em geral, sendo que ao decorrer do curso, você vai podendo escolher as matérias que servem para a carreira que pretende seguir. O lance mais legal do curso é que, você pode tanto se formar nele em meros 3 anos, dando ênfase ao estudo da ciência/matemática que você bem entender, ou você pode fazer uma transferência especial depois de dois anos para um dos cursos de ciências disponíveis. Para mais informações acessem: http://www.bcmt.ufrj.br/
Ok, ok, sem mais esse lero-lero que já tá parecendo que eu tô querendo me gabar, vamos continuar com o post. Como eu já havia falado em posts bem antigos, eu estudava em Nilópolis e moro em Campo Grande, então o trajeto para a escola era bem perturbante. Agora eu estou fadado a pegar a Avenida Brasil que nada mais é do que uma das principais (se não a principal) avenidas do Rio de Janeiro. Como a Cidade Maravilhosa é Maravilhosa com "m" maiúsculo, a avenida se recusa a funfar funcionar quando está chovendo muito, já que isso, apesar de eu não ter nada contra, não é nada maravilhoso, não é verdade?
Ês que, eu estava tão de saco cheio daquela merda de trajeto antigo para Nilópolis, tendo que fazer um milhão de baldeações, que eu gostei de pegar engarrafamento na Brasil! Puta que pariu, como gostei!
A melhor parte é que eu tenho que pegar UM ônibus só e, na maioria das vezes, eu vou SENTADO para a faculdade já que o pego no ponto final. O ônibus faz o trajeto enfrentando bravamente todo o trânsito com o mesmo tempo médio que eu levaria para chegar em Nilópolis! E o melhor! Meu primeiro horário na faculdade é só às 8h da manhã! O que deixa uma brexa desgraçada para que eu acorde 5h da manhã e não mais, graças a tudo que é sagrado, às 4:30h, como fazia antigamente quando tinha que chegar às 7h em Nilópolis!
Eu tenho menos matérias agora, mais tempo para mim, não tirei nenhuma nota baixa (inclusive me salvei em cálculo depois de ter feito a prova com UM pé e por um milagre tirar um fuckin 7,7), os materiais e as aulas podem ser acessados facilmente pela internet, computação é foda para caralho, tem um monte de garotas bonitas e uma pequena quantidade de garotas mais bonitas ainda!
Bem, tudo melhorou... mas percebam comigo que, só melhorou porque eu dei uma chance para que melhorasse.
Na minha antiga escola, pelos meus motivos, eu não podia deixar as coisas melhorarem, não era como se eu fosse pessimista, mas eu já tinha um ódio tão eterno por aquilo que talvez, meu subconsciente não quisesse ver como seria se isso tivesse MUDADO, eu tinha "medo" inconscientemente da MUDANÇA. Não que eu me arrependa de ter saído de lá, na verdade eu não me arrependo nem de ter tido esse "medo". Mas, quantas vezes na vida eu passei por isso e não percebi? Quantas vezes eu ainda vou passar por isso? Será que a melhor opção para todas essas outras vezes foram ou serão essa que eu tomei?
Eu realmente prestei bastante atenção nisso. Mas isso não é uma coisa que consigamos responder assim do nada, só podemos concluir que o importante é sermos felizes FORA do subconsciente, então continuemos na fisolofia filosofia. Bem, uma das matérias que eu tenho que aturar na faculdade é Inovações Tecnológicas, que nos apresenta novas idéias tanto tecnológicas quanto teórias e antropológicas, além disso só vemos essa matéria uma vez por quinzena e ela serve, também, para nos fazer chegar mais tarde em casa já que saímos 17h e tiramos total usufruto de todo o engarrafamento da cidade universitária, todas as linhas do arco-íris (só carioca vai entender...) e Av. Brasil. Pois bem, nós recebemos vários palestrantes além do próprio professor e a cada um deles nós temos que ficar bem atentos para que não aconteça mais um massacre. É, eu tô falando de Realengo, querem saber o que eu achei de todo aquele blábláblá que rolou tipo "Ai meu Deus, que sofrimento para essas crianças!" ou "Isso é um bom exemplo para as pessoas pararem de fazer bullying!"? Pois bem, eu direi: como eu já comentei aqui no blog, eu sou arreligioso, mas são em momentos como esse que eu espero estar multiplamente errado, espero que todas as religiões estejam certas, principalmente quanto as punições divinas. Só assim aquele doente vai ter o que merece, só assim eu acho que as famílias não se sentiriam tão injustiçadas. Aquele cara merece arder em todos os infernos ao mesmo tempo.
Pois bem, quanto as palestras menos badaladas mais calmas que tivemos em Inovações, uma delas foi sobre cultura. Eu já havia tido Sociologia no ensino médio, então eu tinha plena certeza de que ia ser um porre. Mas não foi. Depois que o palestrante terminou e começamos a poder perguntar coisas é que ficou interessante. Questões como mensagens subliminares, realidades virtuais e o elo perdido da cultura, são alguns exemplos do que vieram à tona. Isso só ocorreu porque eu acabei dando uma chance àquilo...
O post ficou grande né? Falei de coisas muito sérias que aconteceram aqui no nosso país, acho que vou deixar para falar do norte da África e dos terremotos no Japão para depois se não quando vocês terminarem de ler isso aqui vão ficar com depressão. XD
Então, vamos terminar esse post com o nosso aclamado bordão:

MORRA AGORA OU CALE-SE PARA SEMPRE!
(Por que ninguém disse isso para aquele desgraçado em Realengo?...)