segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Inteligência.

Ultimamente eu tenho pensado, já perceberam que o conhecimento de ciências exatas é algo supremo comparado às outras para a maioria das pessoas?
Seja sincero, quem você acha mais inteligente, alguém graduado em história, ou em física?
Bem, por mim, eu acho que os dois DEVEM ser brilhantes! Obviamente que dependendo da importância que cada um deu ao seu curso é que vai dizer quem se tornou mais inteligente.
Segundo os dicionários, inteligência é algo como a faculdade de conhecer, de compreender, perspicácia, destreza. Seríamos então todos iguais? Sim, provavelmente. Sabe qual é o problema? Ninguém aprende tudo exatamente como você.
Desde a época do Chaves já se dizia "Ai que burrrrrro! Dá zero pra ele". Para o mundo capitalista, esse mundo que nós vivemos, fica muito fácil você decidir quem é melhor para trabalhar com você dividindo as pessoas em duas partes: inteligentes e burros. Só que para você dividir as pessoas assim, você tem que provar que isso existe.
Adivinha o que nasce daí? Provas. E das provas, a educação. E da educação, a competição. E da competição, as Olimpíadas no Rio. O capitalismo transforma o mundo numa grande competição a fim de selecionar os melhores. Aí vem outro problema. José Dono de Indústria da Silva Sauro precisa de trabalhadores qualificados para no máximo 1 ano, se não, vai perder tempo, e tempo é dinheiro, e dinheiro não se perde. Ele já contribui com a educação de seus futuros operários, porém esse processo é lento e os alunos ainda precisam de mais 3 anos para se formarem de vez. Zézim Chefia do Trabaio, como é conhecido entre os operários mais chegados, decide então assistir algumas das aulas que seus futuros operários estão tendo e percebe uma coisa que o faz transformar 70% da sua face em dentes sorrir de orelha à orelha. Alguns alunos tem uma rapidez de entendimento superior a dos outros, e, como Zézim só quer os melhores mesmo, decide colocar o ensino no ritmo dos melhores da sala, assim, somente os "mais inteligentes" vão ser selecionados.
Dois problemas:
  1. O primeiro, é que o Zézim, divulga essa idéia;
  2. O segundo, é que ele só assistiu algumas aulas.
Os alunos que ele julgava serem "mais inteligentes", na verdade eram apenas mais habituados a entender aquela matéria em questão da maneira que estava sendo passada. Os outros precisavam que o professor os transmitisse aquela idéia de outra forma. Porém, pelo fato de o destino ser cruel, os alunos "mais inteligentes" se tornavam os outros em outras matérias.

Delícia. O resto da história você deve conhecer. "O problema do mundo é a educação" é o que desde pequenos nós escutamos todos dizerem. Eu discordo. O problema do mundo é a forma de educação. Os sistemas de educação não estão nem aí para a sua capacidade, e esse "estar nem aí" acaba sendo transmitido aos professores que terminam por não transmitir nada para alguns. E que se danem, são só alguns.

Mas talvez, eu esteja sendo muito duro, a realidade é outra Thales. Muitos alunos não se esforçam o suficiente para aprender certas coisas. Não se esforçam porque não lhes convêm.

Hummm... Não lhes convêm por quê? Por que desconhecem a importância do "saber"? Desconhecem porra nenhuma. A verdade é essa. Todos querem aprender algo, truques de vídeo-game, utilização de instrumentos, jogar bola, pular dando mortal, enfim, todos querem. E a prova de que eles podem se dar até bem, é a própria imagem do trabalhador brasileiro. Dá uma pesquisada aí no Google para você ver quanta gente está no mercado informal por aqui. A maioria deles está trabalhado informalmente porque quando se deram conta, foram apenas mais uns que não foram classificados para participar do Big Brother mercado competitivo capitalista do Seu Zézim, eles não são inteligentes ou não estão preparados o suficiente, segundo ele. Se não estão, como é que tem gente que mantém um padrão econômico de classe média para sua família graças ao mercado informal? Simples. Seu Zézim não soube buscar o que esse cidadão tinha de melhor, não teve paciência para lhe transmitir conhecimento.
Esse cara, INTELIGENTEMENTE, virou o jogo usando as melhores cartas que possuía, abaixou o Exódia e berrou:
Exódia...
OBLITERAR!
MORRA AGORA OU CALE-SE PARA SEMPRE SEU ZÉZIM!

4 comentários:

  1. Wooowww... simplesmente mais um post muuito foda. 100% verdade.
    Para a educação melhorar a forma de se oassar as coisas TEM que ser diferente. Sei que realmente tem alunos que não se intereçam, mas o problema maior não é esse.
    Não sei muito o que dizer aqui, já que seu post foi um tanto... completo... então...
    Parabéns pelo post.
    Beijos, até

    ResponderExcluir
  2. morangoemarshmallow.blogspot.com
    caso você queira da uma passada no meu blog.
    gostei muito do seu, do que escreve e tal.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Tudo bem?
    Agradeço por sua visita ao meu blog Silencio, e tbm por me seguires.
    Já dei uma espiada no teu blog, gostei..resultado= me encostei por aqui,rs.
    Parabens pelo espaço...
    Bjinhos no seu coração! Sinta-se a vontade para me visitar,rs!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o jeito descontraidão que você se expressa, sério! É como se desse até pra imaginá-lo falando,rs...mas, parabéns mesmo é pelos temas que você escreve...confesso, não li muito ainda, só três hj, mas gostei muito, principalmente pelo tom humoristico que por vezes aparece em alguns trechos...
    Fica na paz e bjs no seu coração!!!

    ResponderExcluir

Diga o que você bem entender sobre o post. Lerei sempre, mas nem sempre responderei.